Hora de trocar o guarda-roupa!

8 jun

Por Lívia Schurr

Às margens de mais um SPFW, não vai demorar nada até ficarmos por dentro de todas as tendências para o verão 2011.
Já com essas informações em mão, nada mais divertido que analisar todo o seu guarda-roupa para ver o que você ainda pode aproveitar, quais as peças que você não abre mão por nada no mundo e quais vale passar para frente!
E para liberar espaço para sua nova coleção de verão, vale tirar um dia pra fazer aquela “limpa” no armário, provar tudo mais uma vez, e ter absoluta certeza em qual grupo cada roupa e acessório vai!
Mas o que fazer com todas as peças que você não quer mais? Uma boa opção é levar tudo para um brechó. Alguns compram as peças mais interessantes, em outros você pode trocar suas roupas por roupas do brechó, ou então apenas doe o que você não quer mais!
Pra ajudar nessa campanha de reciclagem-fashion, aqui vai uma listinha de alguns dos melhores brechós de São Paulo: (http://www.fashionbubbles.com/moda/brechos-em-sao-paulo/)

SPAZIO 1717
Instalado em um sobrado ao lado da Mercearia São Pedro, na Vila Madalena, o brechó é muito procurado para produção de figurino. Quem gosta de roupas clássicas acha boas opções. Tem um acervo grande de peças de 1910 a 1980. Em meio a vestidos bufantes de estilo princesa dá para encontrar peças assinadas por Dener e Valentino. As roupas femininas ficam em araras cobertas por plásticos. Na etiqueta, há o preço e a descrição da peça. Mesmo com preço na etiqueta, é preciso confirmar se a roupa está à venda, porque a maioria é para aluguel. Quem tem rinite alérgica sofre um pouco com o pó.
R. Rodésia, 76, tel. (11) 3815-8480, São Paulo. Seg. a sáb.: 10h às 19h.

PASSADO PRESENTE
O brechó de Magaly Camargo, uma das pioneiras no ramo, ocupa duas lojas na Galeria Ouro Fino. Seguindo a linha clássica, é um bom lugar para garimpar roupas de festa. Tem muitas peças eternas, como trench-coats. Grande variedade de bijuterias e chapéus de época.
R. Augusta, 2.690, lojas 16 e 21, Galeria Ouro Fino, tel. (11) 3081-6253, São Paulo. Seg. a sáb.: 10h às 19h30.

BAZAR UNIBES
O bazar da União Brasileiro-Israelita do Bem-Estar Social recebe doações e seleciona peças em bom estado que põe à venda por preços baixíssimos. As roupas não são lavadas. Algumas apresentam pequenos defeitos e manchas. Para entrar é preciso deixar a bolsa em um guarda-volume. Há roupas sociais, básicas e peças que compõem looks modernos, como camisa xadrez. A parte de acessórios é fraca. Chato é que não dá para experimentar.
R. Rodolfo Miranda, 287, tel. (11) 3311-7300, São Paulo. Seg. a sex.: 8h30 às 16h.

BAZAR SAMBURÁ
Funciona em uma casa antiga na Vila Mariana. A parte de vestuário fica nos fundos. As roupas doadas não são lavadas. Quando a roupa é de alguma grife, leva a inscrição “De Marca” na etiqueta. Em uma mesa há uma montanha de roupas misturadas. Atire-se. Os preços são bons e o Lar Escola São Francisco merece.
R. França Pinto, 783, tel. (11) 5908-7899, São Paulo. Seg. a sex.: 8h às 17h. Sáb.: 8h às 16h

TRASH CHIC
Brechó de luxo, o Trash Chic existe há 15 anos e funciona numa bela casa repleta de fotos e obras de arte. Parece butique. Na entrada, uma vendedora uniformizada oferece ajuda. No primeiro andar há vestidos femininos de festa, bolsas, gravatas e óculos. Nas araras, Armani, Chanel, Dior, Dolce & Gabbana, Valentino, Pucci. Todos os preços estão nas etiquetas com código de barra. No segundo andar tem uma salinha de sapatos. A maioria vai do 36 ao 38. Há menos opções para homens. A numeração feminina em geral vai até o 42. Se a idéia é investir em roupa de festa, é uma saída bem mais em conta.
R. Capitão Prudente, 223, tel. (11) 3815-3202, São Paulo. Seg. a sex.: 10h às 18h. Sáb.: 10h às 15h.

RE PORTELA DEPOT
Fica na Oscar Freire. O foco são as roupas de grife internacionais e brasileiras. Há jeans de luxo como Diesel e 7 For All Mankind.
R. Oscar Freire, 686, cj 06, tel. (11) 3081-5083, São Paulo. Seg. a sex.: 10h às 20h.Sáb.: 11h às 17h.

VÓ JUDITH
A matriz fica perto do Poupatempo, no centro. O espaço é agradável e arejado. Quem gosta de vestido se esbalda. No estilo retrô, há modelos de manga comprida estampados muito legais, e floridos de algodão. Nada tem etiqueta: os preços estão em cartazes. O banheiro é bem arrumado e serve de provador.
R. do Carmo, 122, tel. (11) 3105-4753, São Paulo. Seg. a sex.: 9h às 19h.

CAMARIM
Olhando de fora não dá para imaginar que este brechó tenha um acervo tão grande e amontoado. Na entrada fica a sala de roupas infantis. Na sala ao lado está a maioria das roupas femininas, em araras abarrotadas e com as peças separadas por cores. Quando a roupa é de grife, na etiqueta aparece “De Marca”. É preciso procurar bastante porque são poucas peças que saltam aos olhos. No andar de cima fi ca a “sala dos jeans”, com calças do 34 ao 56. Em outra sala ficam as roupas masculinas, melhor organizadas que as femininas. Numa terceira sala ficam as roupas brancas e, na última, as peças de 46 para cima.
R. Antonio de Macedo Soares, 1.554, tel. (11) 5543-5304, São Paulo. Seg. a sáb.: 9h às 19h.

DEGRIFFÉE
Está há 41 anos em uma casa na avenida Ibirapuera. Homem não entra. Trabalha com marcas nacionais como Farm, Gloria Coelho, Lita Mortari, Maria Bonita, Mixed, e algumas grifes estrangeiras. Tudo é lavado e passa por revisão antes de ser exposto. A maioria das peças é tamanho 38 e 40. Os preços não são bons. Dependendo da marca, é melhor ir à ponta de estoque ou aguardar um bazar.
Av. Ibirapuera, 1.110, tel. (11) 5083-4747, São Paulo. Ter. a sex.: 10h às 19h. Sáb.:10h às 17h.

CAPRICHO À TOA
Perto do metrô Vila Madalena, numa rua sem saída, fica outro brechó tradicional. Na entrada, coisa chata: é preciso deixar a bolsa. No primeiro andar estão as roupas femininas, separadas por cores, estampas e modelos. Tudo está etiquetado com numeração, marca e valor. Vendedoras com crachás ficam por perto. No segundo andar ficam calças, jaquetas, paletós, saias, bermudas, shorts, cintos e lenços. O brechó tem preços ótimos e variedade. O chato é uma certa paranóia com segurança, que lembra a de lojas de departamento. Antes de você entrar no provador, uma vendedora confere tudo e entrega um cartão. E se você sair do provador e entregar as roupas sem os cabides, ouve bronca. Se relevar tudo isso e se dirigir ao caixa, ainda tem que enfrentar o bendito cadastro.
R. Heitor Penteado, 1.096, casa 08, tel. (11) 2137-5926, São Paulo. Seg. a sáb.: 9h30 às 18h30.

JUISI BY LICQUOR
Atrai homens e mulheres que têm informação de moda. Um destaque são as peças que vêm do Japão, supercoloridas ou com estampas divertidas. Está instalado em uma sala pequena, em uma galeria nos Jardins. Os vestidos são ponto forte. Há grande variedade de camisetas legais, modelos antigos de marcas como Hang Ten, Lacoste e Alexandre Herchcovitch. As jaquetas e malhas de lã também são cheias de estilo. A parte de acessórios não é tão farta, mas dá para achar óculos escuros bons e cintos bacanas.
Al. Tietê, 43, loja 06, tel. (11) 3063-5766, São Paulo. Seg. a sex.: 11h às 19h. Sáb: 12h30 às 18h30. Fecha para o almoço todos os dias das 14h às 15h.

MINHA AVÓ TINHA
Um dos mais tradicionais e procurados, por causa do bom e grande acervo. Ocupa duas casas em Perdizes. Em uma estão roupas, acessórios e objetos de decoração à venda; na outra, peças para aluguel. Boa variedade de roupas dos anos 20 aos 80. Quem procurar por grifes, encontra, mas esse não é o foco. No primeiro andar estão roupas femininas e masculinas. Boa variedade de saias de estilo colegial, retas na altura do joelho e de estampa de bolinha. Na parte masculina, camisas, coletes, calças, ternos, blazers, blusas de lã e sapatos. Os vendedores dão dicas de estilo. Na escada que leva ao segundo andar, quadros na parede exibem acessórios. No segundo andar tem sala com roupas de época, outra com casacos, pijamas e roupas infantis e uma terceira com terninhos e tailleurs, maiôs anos 70 e chemises. Tudo é limpo e organizado. O preço não é ótimo, mas quem busca estilo, acha.
R. Dr. Franco da Rocha, 74, tel. (11) 3865-1759, São Paulo. Seg. a sex.: 10h às 19h30. Sáb.: 10h às 17h.

Mas lembre de ligar antes, pra confirma horário de funcionamento e endereço.
Uma outra opção, que eu pessoalmente acho mais divertida, é organizar um troca-troca. Junte várias amigas que estejam nessa fase de “desapego material”, cada uma leva as suas coisas, e se outra gostar, vocês trocam. Assim seu guarda-roupa e o das suas amigas se reciclam e sobra mais espaços pras peças novas!

Livia Schurr é formada em negócios de moda, sócia da loja Cherry Pie.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 441 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: